Sobre dispolar

O Blog dos complicados

Eduardo Cunha Presidente? Dilma está frozen…

Dilma e Cunha amigos para sempre

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão – serrao@alertatotal.net

Por que o espertíssimo parlamentar peemedebista Eduardo Cunha investiu pesado em sua reeleição para lutar pela Presidência da Câmara dos Deputados? Porque ele sabe que este é o atalho mais seguro para chegar à Presidência da República, em uma excelente hipótese, ou para exercer hegemonia política sobre sua inimiga pessoal Dilma Rousseff, em uma outra visão pragmaticamente concreta e muito possível de se tornar real, em curto prazo.

Eduardo Cunha aposta abertamente que é inviável a governabilidade de Dilma Rousseff no segundo mandato. Intimamente, avalia que é muito alto o risco de impeachment da Presidenta, por variados motivos, agravados pela incompetência em solucionar a crise econômica agendada para se agravar em 2015. Dilma pode cair pelos escândalos do Petrolão – que podem arrasar a Petrobras? Dilma pode ser impedida por crime de responsabilidade contra a Lei de Responsabilidade Fiscal? Ou ela pode ser engolida pelo próprio PT de cujos corruptos ela tenta se desvincular?

O negócio anda tão horrível para o lado da Dilma que ela deveria trocar seu marketeiro baiano por um bom pai de santo de lá da boa terra… Eduardo Cunha já é saudado como salvador da pátria na guerra contra o PT. Sexta-feira, no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, o poderoso líder do PMDB foi festejado como herói pelos passageiros. Cunha recebeu apoios populares para continuar sua guerra contra os petistas pela conquista da presidência da Câmara dos Deputados. Do jeito que o avião desanda, Dilma acabará obrigada a pedir um autógrafo ao popstar Eduardo Cunha…

Eleito, em fevereiro, para o posto que deseja, Eduardo Cunha se transforma no terceiro na linha de substituição presidencial em caso de emergência, ausência do País ou vacância do cargo. Imagina se algo de errado também acontecer com o amigo dele, o justo e perfeito maçom inglês Michel Temer – que é o substituto eventual da Dilma? Eduardo Cunha está na boca do gol, torcendo pelo massacre alemão… Ninguém no PMDB aposta que a velha guerrilheira Dilma consiga suportar tanta pressão interna e externa que vai acuá-la (com chances de evacuá-la) do poder.

Os políticos profissionais da republiqueta de Bruzundanga, sob corrupto regime capimunista, estão à beira de um ataque de caganeira com os novos episódios da Operação Lava Jato. O roteiro do filme de terror já indica que, depois da “colaboração premiada”, seguida dos acordos de leniência firmados com as empreiteiras, os alvos serão os políticos – uns 40 ou mais ladrões que se beneficiaram de esquemas de corrupção apenas na Petrobras. Imagina se o supremo ministro Teori Zavascki resolver divulgar o nome deles antes do fim do ano? Já pensou se a informal AJA (Associação dos Juízes Anticorrupção) conseguir avançar muito além do Mensalão e da Lava Jato, fisgando até molusco blindado em aquário de barril de cachaça ou de petróleo?

Voltemos ao problemão da Dilma. Seus aspones podem repetir o mantra de que ela está blindada porque tem a poderosa varinha mágica que assina o Diário Oficial e porque foi reeleita pela “vontade popular” (manifesta no sistema eletrônico de votação tão auditável quanto o do Cassino do Al Capone). Não adianta… Dilma foi a “presidente” do Conselho de Administração da Petrobras quando grandes roubos do Petrolão aconteceram. Se de nada sabia, foi “incompetenta”. Se de algo desconfiou, mas não deu ordem para apurar ou anular (como a compra superfaturada da refinaria texana de Pasadena), Dilma pecou por responsabilidade.

Nos Estados Unidos, já tem juiz querendo comer o fígado dela. Imagine o vexame institucional para o Brasil de ter a primeira mulher a ocupar nossa Presidência da República sendo processada, civil ou criminalmente, pelos desmandos na Petrobras contra investidores e contra as leis anti-corrupção norte-americanas. O caso Pasadena é um Passadilma. E se a turma do Tio Sam resolver mexer em outros contratos menos votados, como o da Gemini, sobre o qual Dilma foi oficialmente alertada em vários documentos enviados, com protocolo, ao Palácio do Planalto e à Petrobras, a coisa pode ficar ainda mais preta que ouro negro.

Concretamente, contra Dilma, os tribunais norte-americanos podem usar argumentos comprovados pelo economista Fabio Fuzetti, gestor do fundo Antares Capital e conselheiro da ANA (Associação Nacional de Proteção dos Acionistas Minoritários), em recente entrevista à Folha de S. Paulo: ” A credibilidade da Petrobras já estava arranhada havia muito tempo. A defasagem dos preços dos combustíveis queimou mais de R$ 130 bilhões da empresa desde 2002. É mais do que a capitalização da empresa em 2010. Fizemos contas que mostram que os atrasos e os aumentos de custo nas obras das refinarias tiveram um perda adicional entre R$ 40 bilhões e R$ 48 bilhões. Todos esses números foram apresentados ao conselho da Petrobras e à CVM (Comissão de Valores Mobiliários)”.

O filme de Dilma está queimado lá fora. Ontem, deu no New York Times: “A possibilidade de que as denúncias de corrupção na Petrobras sejam a faísca inicial para desencadear um incêndio maior no Brasil não pode ser descartada”. O mais famoso jornal dos EUA destacou que “os problemas na Petrobras, com denúncias de corrupção e prisão de executivos da companhia e de empreiteiras prestadoras de serviços, levantam preocupação mais ampla nos investidores estrangeiros, que detêm boa parte das ações e bônus da petroleira brasileira”.

A fragilidade mais urgente contra Dilma nem é a avalanche de corrupção e incompetência gerencial na Petrobras, mas sim sua incapacidade de indicar soluções para a crise econômica no Brasil. O risco de tudo piorar é tão evidente que até Judas está recusando as sondagens dela para assumir o Ministério da Fazenda. A missão indigesta pode sobrar para algum burocrata sem força política ou prestígio diante da banqueiragem transnacional. O poderoso Lula insiste que Dilma bote Henrique Meirelles no (en)cargo. Além de não querer dormir com o inimigo pessoal, e tentar se desvencilhar de seu Chefão-Criador Dilma quer dar as cartas na economia – na ilusão de que tem capacidade para tal.

A pobre Dilma nem pode apelar para o Grande Arquiteto do Universo, porque o mestre maçom Temer já faz isto antes dela, naquelas reuniões secretas em que a turma do ritual de emulação faz um intervalo para saudar a Rainha da Inglaterra com uma talagada do melhor whisky escocês (não importa se antigo e aceito). Até o Temer teria muito a temer, porque já tem gente poderosa falando mal dele. Certamente é intriga com os gastos da bela Marcela com cartão de crédito nas viagens – assunto até de futricas, nas altas madrugadas, entre as maravilhosas meninas do Jô Soares…

Dilma está frozen… Se cantar “Let it go”, Michel Temer não vai querer ir com ela. Mas Eduardo Cunha vai amar a cantada… E, se o economista, radialista e evangélico virar mesmo presidente da Câmara, assume o Palácio do Planalto numa boa, mesmo sem ter sido eleito para isto… “Afinal de contas, o povo mereeeeeeeeeeeece respeito” – bordão que ele usa no rádio… A turma da piscina do Golden Green está na torcida pelo sucesso dele… O baixo clero do Congresso nacional, também… E os inimigos rezam para o Jim Jones do PMDB se ferrar…

E a Dilma, numa frozen, lá no G-20, em Brisbane, na Austrália, conseguiu trocar umas breves palavrinhas com o Barack Obama. Mas a Presidenta preferiu não falar do rumo que dará à economia brasileira… Na prática, ela foi coerente com o discurso do partido que psicologicamente rejeita… Comprovou que não sabe de nada mesmo, nada falou de relevante e pt saudações…

O fato concreto é que a frozen Dilma terá de fazer como a princesa Elsa do desenho animado: terá de deixar as fileiras da tempestade, sair de seu reino de isolamento e romper com o passado… Como vai fazer isto nem ela sabe… Aliás, não sabe de nada mesmo…

Anúncios

Adeus, Presidente Dilma!

Galeria

Esta galeria contém 1 imagem.

Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net Por Milton Pires                                                                                                                                       Exma.Sra.Presidente da República, Dilma Rousseff: Aproveitando o ensejo da aproximação do dia 18 de outubro, data que ficou conhecida no Brasil como “Dia do Médico” e que, se dependesse da … Continuar lendo

TSE identifica 2.467 eleitores com título registrado mais de uma vez

banner_eleicoes

André Richter – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) encontrou 2.457 pessoas com titulo de eleitor registrado mais de uma vez para votar nas eleições do próximo domingo (5).

As irregularidades foram identificadas pelo próprio tribunal após uma varredura no sistema de biometria da Justiça Eleitoral, que será usado na votação em algumas regiões. As irregularidades representam 0,01% do total de 16,3 milhões de digitais que foram analisadas. De acordo com o levantamento, o estado com mais irregularidades é Goiás, com 223 casos. No estado, um eleitor chegou a registrar seu título 32 vezes. Em São Paulo, uma pessoa se cadastrou 16 vezes. Para o tribunal, os erros devem-se a falhas de funcionários da Justiça Eleitoral no recadastramento e também à má-fé dos eleitores. Segundo TSE, os eleitores irregulares tiveram a inscrição cancelada. Os casos mais graves, envolvendo multiplicidade de registros, foram encaminhados à Polícia Federal, que vai investigar os supostos crimes eleitorais.

De acordo com a Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral, os casos registrados e não tem poder de influenciar o resultados das eleições. A verificação do sistema não será concluída para o primeiro turno das eleições. Segundo o TSE, apenas 68% foi verificado. O tribunal informou que, inicialmente, o trabalho de checagem seria feito por um órgão do Ministério da Justiça, que alegou, em setembro do ano passado, que não conseguiria concluir o trabalho. A partir de então, o TSE foi obrigado a fazer licitação para comprar um programa de computador e executar o trabalho

Pesquisas induzem opinião pública a aceitar vitória eleitoral de Marina – ungida pela Oligarquia globalitária

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão – serrao@alertatotal.net

 

Marina induzidaComo de mau costume no Brasil, os meios eletrônicos de comunicação de massa são usados por quem detém a hegemonia real do poder para induzir o eleitorado a acreditar, piamente, em questionáveis pesquisas de opinião (com amostragens ínfimas para um universo de 142 milhões de eleitores) que preparam o terreno para o resultado final que as máfias desejam plantar no sistema eletrônico de votação – inseguro, fraudável e sem chance de contestação. Eis o fenômeno que “consolida”, no imaginário da opinião pública, a provável e surpreendente vitória da Marina Silva para a Presidência da República.
Os estrategistas de Marina já apostam que ele possa liquidar a eleição ainda no primeiro turno. Embora não possam cometer a heresia de admitir publicamente, os estrategistas do PT também trabalham com este mesmo cenário ultrapessimista para eles. Os estrategistas tucanos parecem apalermados diante da “imagem mítica de santa guerreira vitoriosa” que o eleitorado, induzido por lendas urbanas, lorotas virtuais e pesquisas manipuladas, começa a consolidar da viúva política de Eduardo Campos – na verdade a herdeira oportunista da desgraça de um jatinho que caiu do céu para infernizar o cenário político brasileiro.
Desde 16 de dezembro de 2013, este Alerta Total adverte que a Oligarquia Financeira Transnacional e seus tentáculos no Brasil já tinham sacramentado a derrota reeleitoral de Dilma Rousseff e do esquema petralha-peemedebosta. Muitos intelectuais céticos da internet não levaram muita fé na avaliação que era objetivamente comprovável: o mercado financeiro, na hora decisiva, apostaria em qualquer um capaz de destronar o atual esquema do Palácio do Planalto.
O acordo é direto. Não importa quem seja o substituto. Quem se mostrasse mais viável, perto da eleição, para dar continuidade ao eterno modelo neocolonial sobre o Brasil acabaria “ungido” para o poder pelos comandantes globalitários. Na semana que passou Marina Silva já se reuniu com a cúpula mundial do HSBC – um dos braços fortes da oligarquia anglo-americana que controla as finanças e o comércio mundial para receber sua “coroa imperial”. Agora, só um novo “desastre” lhe tira a vitória.
 

Versão fantasiosa do Palhaço do Planalto tenta acusar militares de alterar Wikipédia da Miriam Leitão

Anormalidades

Edição do Alerta Total – http://www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão – serrao@alertatotal.net

A Vivo garante a segurança total da rede de internet sem fio, criptografada, usada pela Presidência da República. Por isso, especialistas em informática consideram inconsistente a desculpa esfarrapada oficial do governo Dilma Rousseff – cuja assessoria de campanha reeleitoral cometeu ontem a covardia de não comentar a gravíssima denúncia de que algum funcionário no Palácio do Planalto alterou, com mentiras, na Wikipédia, os perfis dos jornalistas Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg, das Organizações Globo, em maio do ano passado.

Pior que a barbaridade cometida – mais petralhice que tende a dar em nada, mesmo se for investigada com rigor – é a versão fantasiosa que circulou ontem nos bastidores da sede presidencial. Alguns membros do governo chegaram a sugerir uma impossível invasão, por hackers militares, do Internet Protocol do Palácio do Planalto. Na inventiva teoria conspiratória palaciana, teria sido praticada uma vingança fardada contra Miriam Leitão – que vem detonando o regime de 1964, através da exumação histórico-editorial do caso Rubens Paiva. O problema é como aplicar a mesma “tese” maluca para justificar a sacanagem contra o Sardenberg… Os milicos ficarão PTs da vida ou vão morrer de rir com mais esta tortura mental…

O Globo denunciou que o IP 200.181.15.10, da Presidência da República, foi usado na enciclopédia colaborativa virtual para fazer alterações em maio do ano passado. O governo confirmou que “o número do protocolo de internet (IP) citado pela reportagem é o endereço geral do servidor da rede sem fio do Palácio do Planalto”. O triste foi a interpretação oficial para o incidente: “Isso significa que qualquer pessoa que utilizou essa rede via internet móvel terá como endereço de saída este número geral de IP. Por isso, não é possível apontar com segurança a identidade de quem alterou os textos citados pela reportagem a partir deste número de IP em maio de 2013”.

O Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, que tem arquivado sucessivas denúncias contra o governo Dilma, alegando falta de provas, já avisou que tal caso merece investigação rigorosa. Por isso, o líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR), correu ontem e protocolou uma representação pedindo que se investigue o uso da rede de internet do Palácio do Planalto na alteração criminosa dos perfis dos jornalistas Míriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg na Wikipédia.

O parlamentar também apresentou requerimento na Câmara pedindo a convocação do ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Thomas Timothy Traumann, sobre o escândalo – que deveria ser o “Watergate” da Dilma. O líder do DEM, Mendonça Filho, pedirá a convocação de dois ministros: o general José Elito Siqueira, do Gabinete de Segurança Institucional, e Aloísio Mercadante, da Casa Civil, para que expliquem o inexplicável.

Uma brincadeira criminosa dessas só pode ter sido obra do ente ficcional chamado “Palhaço do Planalto”…

O Crepúsculo dos Deuses

Themis violad

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Carlos Maurício Mantiqueira

 

Qualquer melhoria institucional deve, obrigatoriamente, começar pela reforma do judiciário.

Desde os tempos coloniais, aperfeiçoa seus vícios.

Subserviência ao poderoso do dia, medo de perder seus privilégios, sensação de intocabilidade, descompromisso com as consequências de seus erros, ocultação de suas fraquezas pelo espírito de corpo, nepotismo, etc.

O deboche de seus “cardeais” chega ao ponto de exigir que pobres cartorários(as) façam uma “vaquinha” para lhes comprar um presente de valor quando de uma visita desses pavões às suas unidades.

Uns contratam como assistentes as amantes dos outros para salvar as aparências ingênuos que pensam estar a salvo da espionagem e registro de suas façanhas que serão usadas em futuras chantagens.

 

Admitir em seus quadros homens e mulheres jovens é incentivar a arrogância e o subterfúgio ao cumprimento de suas funções. Falta-lhes tempo para conciliar a vida amorosa, a educação de filhos pequenos, a ambição consumista, o desejo de viajar e a exibição de seu “status”.

 

Uma república decente deve ter juízes sorteados entre advogados com mais de cinquenta anos de idade e dez de profissão, para um único mandato de cinco anos, com remuneração avultada (para afastar o risco de corrupção) e demissíveis por um Conselho de Estado, caso julguem contra a letra da Lei.

 

Legitimidade, já! Só é Legítimo o que favorece, ao mesmo tempo, o interesse público e os direitos individuais. Os “Deuses” sabem disto…

 

 

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.