AVC pode mudar sua vida e sua sexualidade

Mudança radical, de sexo e profissão

Um britânico que jogava rúgbi e estava noivo diz que um derrame mudou sua sexualidade.

Chris Birch, de 26 anos, tentava dar um salto mortal de costas em frente a amigos em um campo, quando caiu, quebrou o pescoço e sofreu um derrame.

“Eu era gay quando acordei e ainda sou”, disse ele à mídia britânica.”Sei que parece estranho, mas quando ganhei consciência, eu imediatamente me senti diferente. Eu não estava mais interessado em mulheres. Eu era definitivamente gay. Eu nunca tinha sentido atração por homens antes – eu nunca tive nem amigos gays.”Antes do acidente, Birch diz que passava os fins de semana assistindo a programas de esportes na TV e bebendo com amigos.”De repente, eu passei a odiar tudo na minha vida antiga. Não me dava bem com meus amigos, odiava esporte e achava meu emprego (em um banco) chato”, conta ele.”Eu comecei a me preocupar mais com minha aparência, pintei o cabelo e comecei a malhar. Mudei de um skinhead de 120 quilos a um homem bem cuidado de 70.”Além de terminar o noivado e parar de jogar rúgbi, ele mudou de profissão: passou a ser cabeleireiro.

Hoje, ele vive com o namorado em um apartamento em cima do salão onde trabalha.Birch diz que seu neurologista explicou que o derrame pode ter aberto uma parte diferente de seu cérebro, explicação que é considerada aceitável pela Associação Britânica de AVC (Acidente Vascular cerebral).”Durante a recuperação, o cérebro faz conexões neurais que podem despertar coisas das quais as pessoas não tinham consciência, como um novo sotaque, língua ou talvez uma sexualidade diferente”, disse o porta-voz Joe Korner.Apesar das mudanças em sua vida, Birch diz que não se arrepende da transformação.”Acho que sou mais feliz do que nunca.”

Anúncios

Blog do prefeito, Preconceito e Discriminação

Na condição de brasileiro, não possuidor, ainda, de minha casa própria e magoado pela declaração preconceituosa, (essa é minha opinião) do Sr. José Mário Pena atual prefeito de Francisco Sá (MG) publicada em seu blog pessoal na matéria “O PAPEL DA CÂMARA MUNICIPAL” onde diz: * “Na Câmara Legislativa de Francisco Sá, alguns vereadores esqueceram ou na verdade não sabem suas funções, acham e se comportam como se aquela casa (a Câmara) fosse sua casa particular, (ou melhor, a casa da sogra, pois alguns nem casa têm)” A infelicidade de tal declaração deixou em mim um sentimento de incapacidade em desempenhar qualquer função, já que vivo pagando aluguel, mesmo pagando corretamente, tal declaração causou em mim um desconforto pela discriminação de não ter uma casa.

Indignado, procurei na internet algo que aliviasse meus sentimentos e entre tantos encontrei esse que expressa minha opinião.

PRECONCEITO E DISCRIMINAÇÃO

O ser humano, ao longo de toda a sua história, manteve certo medo, ou até mesmo receio pelas coisas diferentes do seu cotidiano. Sua análise quanto a estas coisas era baseado em seus conhecimentos não contestáveis, pois não haveria sentido acreditar em outras verdades se sua vida se manteve adequada e em um caminho retilíneo até tal diferença surgir.
Essa é a base para o etnocentrismo, atitude de considerar seu meio e cultura superior a dos demais, daí surge o preconceito. Mas o que se exige de um ser que possui o raciocínio, é que antes de ter um ato de discriminação, que ele analise tal diferença, para poder compreendê-la.
Mas como disse anteriormente, não haveria sentido em acreditar numa outra verdade se a sua está adequada, tal verdade o faz criar certos conceitos para tal diferença, que logicamente estão “corretos”, daí ele cria conceitos a isso precocemente, surgindo o preconceito. Mas repare que tal preconceito não possui a obrigatoriedade de ser maligno, este pode ser ingênuo, benéfico, inocente, etc.
O ato de ter algum preconceito não é tão condenável, afinal, ele surge de acordo com seu nível de compreensão a certa coisa, mas há uma diferença em ser ignorante e saber, mas não aceitar. O ignorante é aquele que se depara com uma diferença nova para seu mundo, então ele poderá desenvolver diversos preconceitos, até poder entender e aceitar tal diferença, porém quando este não a aceita ele provavelmente desenvolverá atos de discriminação, condenáveis de acordo com a moral, ética e leis vigentes no mundo.
Mas como saber se essa diferença é ou não algo de ruim? Muitas pessoas respondem isso de acordo com sua moral ou crença, esse próprio ato já é não saber lidar com diferenças, pois vem do etnocentrismo, o correto seria você analisar o caso, se o mesmo não for desrespeitoso com o próximo, for sincero e não impedir a paz, não há motivos para se desenvolver algum preconceito negativo.
Mas o que ocorre com o ser humano? Este ser está dotado do orgulho e da alienação, se nega estar errado em alguma coisa, mas ele não percebe que, não é ele que estará errado. Afinal, o natural do ser humano é ficar em grupo, estar em união com semelhantes, porém o fizeram acreditar no contrário, o fizeram estar dentro de um grupo com alguma verdade suprema, e os que estão de fora da mesma estão errados. É tudo uma questão de manipulação, mantida por si mesmo, pois a partir do momento em que essa verdade é “inquestionável“, ela será sempre mantida, mas não é por algum ser que a mantém por interesse, é porque a maior parte da raça está inserida nesta verdade.
Tudo segue o caminho natural da mudança, não é justo também que os injustiçados desenvolvam um preconceito aos que os vêem como “errados”, o correto seria mostrar o que eles possuem de bom, seja a cor, gênero, etnia, religião, sexualidade…
Também há a necessidade de analisar o conceito de preconceito e discriminação, não podemos exigir que uma pessoa entenda e aceite as diferenças, por questão de opinião, mas esta deve permitir o livre tráfego e a livre expressão de pensamento, o ato de discriminação é sinal de fraqueza e desrespeito.
Ok, já falei sobre o preconceito e a discriminação; suas diferenças são básicas, o preconceito é a não aceitação, a discriminação o não permitir as diferenças com ações desrespeitosas e/ou excludentes.
Ambos são atos inseridos no intelecto do humano, pois para ele, mesmo que seja no seu subconsciente, pois o ser humano é sensível a mudança, ele nunca quer mudar para se adaptar, ele deseja que o mundo e os outros se adaptem a ele.
Por fim de palavras, concluo dizendo que o ato de ter preconceito envolve a não auto-aceitação de estar errado, então não é algo tão simples que se resolverá com uma pergunta; “por quê?”, envolve muito mais coisas; mas também o ato de não aceitar sobre nenhuma circunstância que alguém tenha preconceito também é uma atitude de discriminação.
Então deixo minha mensagem, alertando sobre TODAS as formas de preconceito. Se vejam por dentro e analisem o quanto podres são.

Renan Reis

Publicado no Recanto das Letras em 19/01/2006
Código do texto: T101089

http://recantodasletras.uol.com.br/redacoes/101089

Portanto: Preconceito é a idéia.Discriminação é a idéia colocada em “prática”.

Um exemplo: em algum momento você pode não gostar de uma pessoa com determinada característica, feia ou bonita, bizarra ou estigmatizada, esse é um preconceito. A partir do momento que você passa a insultá-los ou qualquer outro tipo de atitude pejorativa, é a discriminação.

Creio que minha opinião é compartilha com todos os “Sem casa”do Brejo e do resto do mundo.

*Veja a matéria completa em: http://blogzemario.blogspot.com/

Igreja Universal é condenada a pagar R$ 20 mil para fiel por “coerção”

Autora da ação alegou fragilidade e diz que era coagida para fazer doações

A fiel Silvia Massulo Volkweis entrou com uma ação por se sentir coagida moralmente a fazer doações à Iurd em troca de supostas recompensas divinas.A autora da ação disse que começou a frequentar diariamente a Iurd na época em que pagava por uma crise conjugal, que terminou com sua separação. Na época, Silvia penhorou joias e vendeu algumas para pagar o dízimo (10% dos rendimentos). O tribunal calculou, com base nas declarações do Imposto de Renda, que o patrimônio de Silvia diminuiu cerca de R$ 292 mil – mas não há como provar que todo o prejuízo foi causado pelas doações à igreja. Ainda segundo o TJ, a fiel passava por tratamento psiquiátrico na época e, por isso, não tinha juízo crítico. Silvia alega que hoje vive de maneira “miserável” e pediu uma indenização por danos material e moral.O pedido de indenização havia sido negado em 2010 pela Justiça de Esteio. A ex-fiel recorreu e a 9ª Câmara Cível do TJ reformou a decisão. A relatora do recurso considerou que o Estado brasileiro é laico e, por isso, garante inviolabilidade de consciência e de crença. Mesmo assim, o Estado também garante aos cidadãos a jurisdição e, portanto, a igreja não está isenta de ser controlada pela Justiça.

Os desembargadores do processo acreditam que a igreja abusou do direito de receber as doações, recorrendo à coerção moral. Por isso, a igreja foi condenada a pagar indenização por danos morais – o pedido de dano material não foi aceito.A Igreja Universal do Reino de Deus informou que “irá recorrer, interpondo recurso tanto ao STJ [Superior Tribunal de Justiça], quanto ao STF [Supremo Tribunal Federal] contra esta decisão do TJ-RS, a qual inclusive, ainda não foi publicada oficialmente“.

 

O Homem que matou o facínora

Bartolomeu Queiros Galvão

O violento assassinato ocorrido em 21 de janeiro de 2010 em Francisco Sá, levou-me a pensar, que motivos  levam uma pessoa a praticar tal  atitude.O Filme, “O homem que matou o facínora” de John Ford, é um clássico exemplo do ocorrido no Brejo. Como no filme a trama não está limitada apenas no conflito entre bandidos e mocinhos  trazem à tona discussões sobre conceitos como modernidade, o valor do ser humano e a criação de mitos opressores. O cidadão buscando espaço e a decência tentando se inserir em um lugar onde elas não existem culminam com fatos como esses. Francisco Sá já teve vários opressores, tais como,  Cruel, Chiquinho de nina, Adauto entre ouros que viviam a margem da Lei e infernizando  a vida do cidadão. Ao que parece o cidadão cansou de esperar que a segurança feita pelo estado funcionasse como deveria, e cansado pelo descaso, erradamente resolve fazer justiça com as próprias mãos e vale lembrar que há poucos dias houve uma tentativa de homicídios com as mesmas características desse assassinato. A  meu ver o que passa na mente de que pratica esse tipo de crime, é um arco que o coloca diante de profundos dilemas, criados sob os preceitos da Lei e doutrinado com todos os valores da civilização e subitamente se vê em um local onde suas crenças não possua mais utilidades. Ele precisa mudar e, de certa forma, involuir para sobreviver. Ao mesmo tempo, também é o agente da mudança nessa sociedade, a ponte que liga a terra sem Lei à sociedade organizada. Este é o conflito interno do personagem. Embora possa parecer, não faço apologia à violência, somente estou tentando entender o que leva  uma pessoa a uma situação extrema, como no assassinato de Cau Bodão, como enfrentar uma situação como esta, é possível faze-lo apenas através das Leis, ou será necessário empunhar uma arma para lutar de igual para igual? De certa forma, é uma questão que permanece na nossa sociedade, como resolver o problema da violência? Apenas a decência e a educação são capazes de enfrentar a bala? Ou é indispensável declarar guerra, talvez a única “Lei” capaz de obter algum resultado contra aqueles que desprezam a ordem e o bom senso?


distúrbio bipolar ditatorial brejeiro

Aqui mando eu

Nesse post falarei sobre o distúrbio bipolar ditatorial brejeiro em versão on line, esse distúrbio começou com o advento crescente dos blogs em nossa cidade, são vários com finalidades diferentes. Para o tema vou destacar dois, o Blog do Zé e o Blog do Tássio Emídio. O primeiro administrado pelo prefeito Zé Mário e o segundo pelo vereador Tássio Emídio, feito as apresentações não é preciso disser que são blogs de conotação política, e foram criados à semelhança de seus administradores, portanto não se pode esperar uma convivência pacifica dos mesmos.Posso dizer que os dois atendem ao principio que foram criados, auto promoção pessoal, visito diariamente os dois e por isso descobri o distúrbio bipolar ditatorial. Vejamos em exemplo esse post do blog do Tássio:

Alegando ser dono de uma rádio comunitária – como se entidade comunitária tivesse um dono – que por muitos anos transmitia a reunião da Câmara Municipal de Francisco Sá, o prefeito Hugo Chávez, digo, José Mário, proibiu que a Rádio Raízes continuasse a transmitir as reuniões dos representantes do povo, alegando que “não aceita vereador criticar a sua administração através de uma rádio que é sua.”

E assim foi feito, o alcaide então, após retirar referida transmissão, contratou uma pessoa de Montes Claros, realizada profissionalmente e além de tudo aposentada, para fazer um programa onde exalta e   venera a sua administração, coisas que acontecem somente em lugares de regime ditatoriais.

 Em minha análise subjetiva do post o vereador Tássio  também usa técnicas ditatoriais em seu blog, seja, proibiu o leitor de seu blog de comentar suas publicações o que me leva a supor o pensamento do vereador:

“Alegando ser dono de um blog, não vou aceitar ninguém criticando meus posts em um blog que é meu”

A supressão dos comentários é uma forma ditatorial do vereador administrar seu blog, principalmente por ser um vereador e fechar o canal de comunicação entre ele e os eleitores, o blog do Zé tido como ditatorial mantém a opção de comentários, isso para mim é uma pratica democrática de se comunicar.

Transtorno Bipolar Palmeirense

por

Redação Terceiro  Tempo

Fábio Sinegaglia

O Transtorno Bipolar é uma doença que se caracteriza por alterações no humor, momentos de alegrias e tristezas se revezam no muita freqüência, com episódios depressivos e maníacos ao longo da vida. O Transtorno Bipolar é uma doença que se caracteriza por alterações no humor, momentos de alegrias e tristezas se revezam no muita freqüência, com episódios depressivos e maníacos ao longo da vida. É uma doença crônica com distribuição universal, acometendo cerca de 1,5% das pessoas em todo o mundo.

Pois bem, no Campeonato Brasileiro deste ano 5 % dos times têm essa doença, ou seja, uns dos vinte participantes têm essa doença, ou melhor, a Sociedade Esportiva Palmeiras, está vivendo esse transtorno neste primeiro turno.  Pois é impressionante como o Palmeiras altera bons e péssimos momentos neste campeonato. São vitórias e empates surpreendentes fora de casa, combinadas com derrotas inacreditáveis jogando da cidade de São Paulo. O momento de ápice deste transtorno ocorreu no Pacaembu quando o time foi derrotado pelo Atlético GO (até então o lanterna da competição), por 3 a 0, sem jogar absolutamente, nesta semana ocorreu o contra ponto no Maracanã quando o time de Felipão fez uma bela partida e empatou com o Fluminense (líder da competição). Essas alterações deixam o Palmeiras na nona colocação do campeonato, com 24 pontos em 18 partidas, totalizando nestes jogos; 5 vitórias, 9 empates e 4 derrotas. O Palmeiras é o time que mais empatou no campeonato, isso em uma competição que a vitória vale três pontos e o empate apenas um, pode custar no final da competição uma boa classificação para a equipe. A soma de momentos bons e ruins são tão latentes que o saldo do time verde e branco é zero.

No começo desta semana o jogador Kleber atento às oscilações do Palmeiras,afirmou que a equipe precisa ter vergonha na cara. E disse “Temos que encarar todos os jogos com seriedade não importa quem enfrentarmos e aonde for a partida. Os atletas têm que saber que oscilam muito em alguns jogos e precisamos melhorar isso”.

Com esse quadro apresentado e as declarações de Kleber fica claro que o treinador palmeirense terá muito trabalho no segundo turno da competição para obter o seu objetivo, que é a classificação para a Taça Libertadores da América

em 2011, até porque Felipão já descartou a possibilidade de conquistar o título de Campeão Brasileiro nesta temporada. Talvez o treinador deva focar o seu trabalho mais como um psiquiatra para a cura do transtorno, do que como um estrategista do futebol com esquemas táticos mirabolantes. Mas de qualquer forma qualquer falha ligada a falta de vergonha na cara como denominou o Kleber é lamentável dentro de uma equipe profissional. 

Felicidades

FÁBIO SINEGAGLIA

OSASCO  – SP

sinegaglia@uol.com.br

Fonte: Terceiro Tempo

Distúrbio bipolar subliminares

Mensagens Subliminares 

  

Em um artigo publicado no Blog do Zé, onde é contestada a operacionalidade do Sindibrejo, e que menospreza nossa inteligência  em discerni sobre política e demagogia no nosso cotidiano, o trabalho do líder sindical e o questionamento do “Pelego” nas atribuições de sua função .No texto repleto de mensagens subliminares, destaco em vermelho o que está oculto e não notamos quando lemos o texto.  

Você sabe o que é Mensagem Subliminar? 

A Mensagem Subliminar é dotada de uma arte a mais. A arte da persuasão inconsciente. Ela trabalha com o subconsciente das pessoas. Dá-se o nome de mensagem ou propaganda subliminar toda aquela mensagem que é transmitida em um baixo nível de percepção, tanto auditiva quanto visual. Embora não possamos identificar esta absorção da informação, o nosso subconsciente capta-a e ela é assimilada sem nenhuma barreira consciente, e a aceitamos como se tivéssemos sido hipnotizados. Por definição, subliminares são as mensagens que nos são enviadas dissimuladamente, ocultas, abaixo dos limites da nossa percepção consciente e que vão influenciar nossas escolhas, atitudes, motivar a tomada de decisões posteriores. subliminar são mensagens que entram na nossa mente de contrabando, como um vírus de computador que fica inerte, latente, e só é ativado na hora certa.Exemplo

Veja essa foto, provavelmente você não notou um detalhe escondido na mesma.

Olhe agora,a silhueta de Napoleão está oculta entre os troncos das àrvores, isso é uma mensagem sublimar

                                  

A finalidade do Sindibrejo desvirtuada.  

 

  

Na era Vargas, surgiu no Brasil a figura do sindicalista pelego. Pelego era o líder sindical de confiança do governo que garantia o atrelamento da entidade ao Estado. Hoje vemos dirigentes sindicais atrelados a partidos ou grupos políticos, e não à real defesa dos interesses da classe trabalhadora.  (Mensagem subliminar: Quando o líder sindical não é o de confiança do governo, torna-se PELEGO, por não ser tutelado pelo empregador) 

Pode-se dizer que, atualmente, essa é a realidade do Sindibrejo – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais. Digo isso porque, a atuação do Sindibrejo visa, primeira e prioritariamente, dar visibilidade e suporte à atuação político-partidária dos seus dirigentes e, apenas em um segundo plano, as reais necessidades dos seus filiados. Com isso, o sindicato tem a sua credibilidade questionada e se desvirtua do seu objetivo principal que é lutar por melhores condições materiais e humanas de trabalho para o servidor público municipal. (Mensagem sublimar: Na ultima eleição para a diretoria do Sindibrejo, pessoas do alto escalão fez campanha para uma candidata, que é de confiança e atende os anseios da classe patronal) 

Não é demais esclarecer à população em geral, e aos servidores públicos em especial, que a manutenção do Sindibrejo custa caro ao município e, consequentemente, a todos os cidadãos que pagam seus impostos. Já que os diretores do Sindibrejo estão afastados das suas funções como servidores, mas continuam recebendo seus salários, o gasto do município é dobrado, pois é necessário pagar seus substitutos. (Mensagem sublimar: Será que houve realmente a contratação de substitutos?) Apesar de não ser ilegal, é uma atitude no mínimo antiética, já que a representação do sindicato, na prática, não demanda uma dedicação exclusiva, dado o tamanho da nossa cidade e as questões ali discutidas. (Mensagem sublimar: Doar R$ 1.500,00 por mês para uma rádio de confiança, não configura uma atitude antiética?) 

Outro detalhe que talvez o servidor não saiba é que administração repassa ao Sindibrejo mensalmente mais de R$1.700 (mil e setecentos reais) e, uma vez por ano, aproximadamente 16 mil reais em um só mês, o que aconteceu no mês passado, tudo descontado da folha do servidor. O SAAE repassa R$134,51 por mês e a câmara municipal repassa R$226,51 por ano. (Mensagem sublimar: Realmente é tudo descontado do salário do sindicalizado e não dos cofres públicos) E o que tem feito o sindicato de objetivo em prol do servidor, além de contestar pura e simplesmente, sem análises mais profundas, as ações da Prefeitura? Na minha opinião, nada de objetivo. 

Prova disso é que no Dia do Trabalhador, ao contrário da Prefeitura, que promoveu uma grande festa para celebrar o dia da classe trabalhadora, o Sindibrejo nada realizou para os seus afiliados. (Mensagem sublimar: O povo só precisa de pão e circo) 

Ademais, o presidente do sindicato não tem humildade suficiente para reconhecer qualquer conquista para os servidores em nossa administração. Já escrevemos antes, mas nunca é demais relembrar as melhorias no piso salarial dos servidores que não acontecia desde 2007, a regularização dos débitos previdenciários para com o Previbrejo e INSS, a ampliação do empréstimo consignado, a regularização dos cadastros do PIS /PASEP, a abertura de100% das contas salários, (Mensagem sublim ar: Não são conquistas, sim, direitos)apenas para citar algumas melhorias.  

Vejam alguns dos reajustes salariais feitos em nossa administração para os cargos efetivos: 

– um agente administrativo tinha salário base de R$ 465, passou a ganhar R$595; (Mensagem sublimar: Se o salário mínimo é de R$ 510.00 não poderia estar mesmo ganhando R$ 465,00) 

– Um assistente social tinha salário de R$ 963,30, passou a ganhar R$ 1.300, 

– um inspetor de ensino tinha salário base de R$843,15, passou a ganhar R$1.800, 

– um supervisor tinha salário base de R$517, passou a ganhar R$1.000, 

– um professor tinha o salário base de R$465, passou a ganhar R$600, 

Também os salários, que eram desiguais, com a reforma salarial, foram equiparados por nível de escolaridade por cada cargo. Os professores, que antes eram alocados através de indicações políticas, hoje o são utilizando-se critérios fixados em lei. (Mensagem sublimar: como são critérios fixados por lei não podem ser admitidas indicações políticas onde está a reforma?) Por fim, reafirmando nosso compromisso com a valorização do serviço público, realizamos no último dia 2 de maio, concurso público visando preencher vários cargos na administração, de forma justa e imparcial. Fizemos o melhor, dentro do que era possível. 

E tudo foi feito por iniciativa própria, após uma análise racional e objetiva das condições orçamentárias do município e das necessidades mais urgentes dos servidores, sem qualquer contribuição, ainda que no campo das idéias, dos representantes do Sindibrejo, já que estes só aparecem para contestar nossas ações sem, no entanto, apresentar qualquer proposta viável, diante da nossa realidade, para ser discutida e implementada. É muito simples o discurso fácil das reivindicações impossíveis, mas é preciso mostrar de onde vai sair o dinheiro, sem comprometer os demais serviços prestados à população e a Lei de Responsabilidade Fiscal, senão não adianta. E é esse o único discurso do Sindibrejo atualmente. Um discurso mais político do que realista. Levantar bandeiras que sabem ser irrealizáveis diante de uma determinada conjuntura é demagogia. (Mensagem sublimar: A função do sindicato é reivindicar o direito do servidor, não importa se são impossíveis, se são de direito) 

Atualmente, só vejo uma explicação à oposição ferrenha que faz o presidente do Sindibrejo à nossa administração, principalmente depois de termos priorizado, já no primeiro ano de governo, e mesmo diante da crise financeira que nos abateu no ano passado, dar melhorias salariais e de condições de trabalho para os servidores. É que, durante a nossa campanha, em troca do seu apoio político, o presidente Magno me pediu que, caso fosse eleito, lhe nomeasse secretário de ação social. Como naquele momento estava mais preocupado com o programa de governo do que com distribuição de cargos, resolvi não me comprometer. A partir de então, ele se tornou meu adversário na campanha e, pelo que podemos perceber, isso continua a influenciar sua atuação como presidente do sindicato, agora em relação à nossa administração. Desta forma, penso que o presidente Magno, não tem conseguido separar sua atuação político-partidária das suas atribuições como representante sindical comprometendo com isso o aprimoramento e desenvolvimento daquela instituição. (Mensagem sublimar: Também é um discurso mais político que realista não reconhecer que o Sindibrejo é uma entidade laboriosa em sua área de atuação)Veja o artigo original em: http://blogzemario.blogspot.com

Por Severino de Jesus Xavier

* Consultor de Assuntos Gerais e Não Específicos (vidente)